O que inspira a Andreia Silva?

Muitas vezes perguntam-me o que me inspira… A resposta é um pouco complexa, pois considero que a inspiração é uma constante e que pode variar conforme o nosso estado de espírito e o nosso meio. Porém há inspirações que são a nossa base, são aquilo que vimos, cheiramos, vivemos e ficou marcado para sempre na nossa mente. Podem até mesmo ser pormenores que definem o nosso estilo!
Nesse sentido, vou hoje dar-vos a conhecer um pouco mais de mim e partilhar alguns elementos que gravei para sempre e outros que vou guardando nas minhas gavetas mentais, que abro e fecho conforme o meu mood.
Conheçam o que faz parte do meu ADN…
Em criança:
Recordo-me perfeitamente de um livro que eu pedi muito à minha mãe para ter, chamava-se “a história interminável”, do escritor alemão Michael Ende. É um livro super interessante pois conta duas histórias que se desenrolam em paralelo, a história de um rapaz que roubou o livro “a história interminável” e está a lê-lo e a história das personagens que vivem em Fantasia, no mundo do livro. Em determinada altura o leitor (o rapaz) passa a fazer parte da história de Fantasia. 
Adorei toda esta complexidade e concentração que o livro exige na sua leitura. Além disso, o mundo Fantasia é um mundo, como o próprio nome indica, recheado de fantasia e personagens de contos de fadas! Mais ainda, o tema central é “o poder da imaginação”, porque só novas ideias e novos sonhos conseguem salvar Fantasia! 
Como criança adorei também o livro em si. Ainda me recordo (e ainda o tenho), é um livro de capa dura, forrado a tecido Bordeaux, em que cada capitulo iniciava com uma letra toda trabalhada e inserida num cenário de fantasia e que no inicio tem uma frase espelhada, que só conseguimos ler, pegando no espelho.
Toda esta inspiração de um mundo de fantasia ainda está bem presente hoje, nos produtos e no conceito que crio para a andIwonder. E mais!  “Mais ideias e mais sonhos, vindos de novas pessoas, fazem com que o mundo andIwonder exista“, é precisamente esta a filosofia que apresento, sempre que entra um novo membro para a nossa equipa.
Em adolescente:
Como gémeas, acabamos por crescer num meio, em que somos constantemente comparadas à nossa irmã. Então os pais e professores tentam que as duas sejam igualmente bem comportadas, igualmente bem sucedidas, igualmente etc… E espera-se que o caminho seja feito par a par, uma ao lado da outra. Por isso, principalmente na minha fase de adolescência (na fase em que realmente nos perguntamos quem somos / queremos ser), procurei fazer e ser diferente da minha irmã. Detestava quando nos viam como cópias, porque cada uma tem a sua personalidade.
Ainda hoje, a pergunta que coloco quando estou a criar algo é: É diferente? Trás algo de novo? Não há outra forma de se destacar de outros, senão sendo diferente e fazendo diferente, se possível dando mais e melhor!
Em adulta:
Já numa fase em afinar, vincar e transmitir sem medo a minha personalidade, tudo o que guardei da minha formação em literatura, dos cursos de moda e mesmo do que absorvo no meu tempo livre resume-se nos seguintes tópicos: extravagância, surrealismo, detalhe, mundos paralelos e emoções.
Por isso… 
Adorei aprender no meu mestrado de literatura, como facilmente entramos num mundo paralelo, como aprender a interpretar os pequenos detalhes e como ser criativa no storytelling! Seja em grandes livros da literatura, assim como também nos contos infantis!
Adorei conhecer a história da moda, principalmente do período barroco e rococó, no seu período original e na sua retoma com o mestre da moda Alexander Mac Queen. Todo o trabalho, requinte, extravagância e exuberância torna esta época de facto extraordinária para qualquer amante de arte.
Adoro ir ver um filme do Tim Burton e ver como ele desafia os seus colegas do cinema, no café folhear uma revista de fotografia e encontrar lá todo o trabalho fantástico e surreal da Kirsty Mitchell ou simplesmente estar em casa e ler e reler livros de literatura medieval, ou clássicos como a Alice no País das Maravilhas e deliciar-me com a forma clássica e delicada de contar histórias, assim como também representá-las nas ilustrações cuidadosas e elaboradas, nada de desenhos facilitados e simplificados pelas ferramentas do computador.
São todos esses pormenores de querer mostrar o detalhe, o complexo, o fazer diferente, mas também manter o old school onde tem de ser, que inspiram toda minha criação e todo meu universo que espelho para a andIwonder.
Aqui está um bocadinho do meu pensamento criativo…

Um beijinho,

sapatos personalizados

Outras Notícias